Prega a Palavra

PRECISAMOS COMPREENDER O TEMPO

Sensíveis somos ao tempo. Muitas vezes nós como cristãos não suportamos lidar com a simples existência do tempo. Não apenas os cristãos, mas o ser humano no geral vê o tempo como um inimigo obstinado que nos enfrenta constantemente com uma lança tão afiada que constrói feridas que não se consertam mais. Mas o objetivo deste texto é tratar sobre teste tema especialmente com os cristãos, pois é para nós cristãos termos uma visão mais adequada sobre o tempo, a ponto de nossas angústias e ansiedades a respeite deste fator não se tornarem algo que nos engula ou nos destrua. Afinal de contas nós acreditamos num Deus que criou o tempo e o espaço, nós cremos num Deus que exerce a sua soberania por toda a linha do tempo, escrevendo e decretando cada ação desta linha e vendo a sua obra por completo, sem que nenhum momento da história lhe pegue de surpresa ou lhe fique oculto, pois foi ele mesmo quem escreveu e que deu o toque inicial para que a sua criação se movesse, para que o espaço mudasse, para que o tempo começasse a contar.

Um dos grandes pontos que nunca devemos nos esquecer é que, ao contrário de diversos outros elementos da realidade que passaram a nos afetar por causa do pecado, o tempo não é uma consequência da queda, não é um fruto da maldade que atingiu o mundo e assim afetou toda a criação, mas o tempo já existia antes da queda. Adão e Eva já eram afetados pelo tempo. Não se sabe exatamente quanto tempo eles passaram no jardim do Éden, mas sabe que pelo menos alguns dias se passaram e que eles sentiram a passagem do tempo neste período assim como a todo o ser humano que veio a partir deles. O tempo que eles passaram foi o bastante para que Adão dormisse, Eva fosse criada a partir de sua costela, os dois ouvissem as ordens divinas, Adão nomeasse os animais e cuidasse do jardim, Adão se afastasse de Eva, Eva dialogasse com serpente, os dois comecem do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, eles costurassem vestes para se cobrir, Deus passeasse no jardim, os dois de escondessem, o discurso de Deus sobre as consequências do pecado ocorresse e os dois fossem expulsos. Ou seja, em instantes muita coisa pode acontecer na vida de um ser humano. E muitas vezes nos martirizamos e nos cobramos por vezes que em segundos fizemos besteiras tão grandes, que poderiam ser evitadas.

Na vida do cristão, segundos são o bastante para que venhamos a pecar. 1 segundo é o bastante para lançarmos contra nossos familiares palavras que não voltam mais depois que foram lançadas. 1 minuto é o bastante para cairmos em pecado com aquela companhia que não deveria estar com você nem naquele local e nem naquele momento. 1 hora é o bastante para que tenhamos conversas infrutíferas e que visam denegrir muitas vezes a imagem de nossos próprios irmãos em Cristo. 1 dia é o bastante para percebermos o quanto fomos preguiçosos, ociosos ou omissos diante da obra de Deus que precisa ser executada no mundo. 1 semana é o bastante para percebermos que passamos 7 dias sem ter a mínima vontade ou iniciativa de abrir as Escrituras e nos deixarmos iluminar pela Palavra do Deus que dizemos crer. 1 mês é o bastante para vermos que gastamos nossos salários com futilidades e que depois deixamos de dar o necessário ao nosso lar. 10 anos são o bastante para perceber que, às vezes, uma mentira resiste ao tempo mais do que a gente pensa, mas que a verdade um dia aparece.

O que quero provar neste texto é que não o tempo o fator mal. E que, na verdade, embora lutemos contra o tempo e lamentemos muito sobre ele, o problema é no nosso interior, o problema é em nós e não no tempo se passando ao nosso redor. É dentro de nós que habita a ansiedade pelo tempo que demora a passar, a impaciência pelo tempo que ainda não chegou e os traumas pelos momentos que já se passaram. É dentro de nós que mora a saudade e a não aceitação de que agora o presente é este e que precisamos aceitar. É dentro de nós que mora o pecado que nos faz ter pressa de que o culto acabe ou de que o sermão termine mesmo sem ter nada exatamente importante após a celebração. É dentro de nós que habita o impulso de agir sem esperar, de correr demais com os momentos e não desfrutá-los da forma com que realmente merecem. O tempo é bom, assim como toda a criação divina. Estamos ligados ao tempo, pois somos criaturas e não criadores. O único que tem controle

do tempo é Deus, por isso somos intensamente afetados pelo tempo. Mas uma coisa é certa: há um tempo determinado para todas as coisas debaixo do céu. Houve um tempo em que você esteve abrindo este site e este texto para ler. Agora há o tempo em que você o está terminando. Que mudança ocorreu em você durante esse tempo? É hora de refletir. Tire um tempo para pensar.

Por Jefferson Roberto de Carvalho Santos

© 2021 Todos os direitos reservados a Prega a Palavra